Menu

CONFIRAM AS PRÓXIMAS PROGRAMAÇÕES DE NOSSA CONGREGAÇÃO, VISUALIZANDO A AGENDA NO FINAL DA PAGINA

terça-feira, 27 de junho de 2017

CAPACITE-SE!

“Dediquei-me a aprender, a investigar, a buscar a sabedoria”. (Eclesiastes 7.25a)
Existem pessoas que recebem maravilhosas promessas de Deus para suas vidas, em relação a chamado, ministério, profissão, entre outras áreas. Acontece que, algumas vezes, para que essas promessas sejam cumpridas, o Senhor requer uma ou várias ações dessas pessoas. Ele espera que elas reajam à Sua palavra liberada. Como? Capacitando-se!
Sabemos que é o Espírito Santo quem distribui os dons ministeriais e espirituais a cada um conforme quer, mas existem habilidades que o Senhor quer que tenhamos ou desenvolvamos por meio do nosso esforço. Para ser um bom pregador do Evangelho, além do dom natural de falar ao público, você precisa ler a Bíblia, e pode até fazer um curso ou ler livros de homilética para aperfeiçoar-se. Para ser um bom intercessor, em prol de outras vidas, além do chamado de Deus, você precisa ter uma vida de oração particular primeiramente e, se necessário, ler e aprender sobre batalha espiritual, armadura de Deus… Enfim, em vez de ficarmos sentados esperando o Senhor fazer o “milagre da capacitação”, podemos fazer a nossa parte, buscando desenvolver as habilidades necessárias para cumprirmos o chamado de Deus, além dos dons que Ele nos dá.

segunda-feira, 26 de junho de 2017

SUA CHAMA ESTÁ ACESA?

“Não apaguem o Espírito”. (1 Tessalonicenses 5.19)
Sabe quando a chama de uma fogueira está chegando ao fim e é preciso fazer alguma coisa para que o fogo não se apague totalmente, pelo contrário, aumente? Às vezes, nossa vida fica como essa fogueira, e a chama representa o Espírito Santo. “Mas é possível Ele ser apagado dentro de nós?”. É, sim. Se a Palavra de Deus diz para não apagarmos o Espírito, é porque existe essa possibilidade.
Apagamos o Espírito quando deixamos de obedecer à Palavra de Deus, quando passamos a viver em pecado, satisfazendo as vontades da nossa carne e não mais a vontade do Senhor; quando o nosso ego passa a ser mais importante do que a vida de Cristo em nós. Qual chama está acesa dentro de você: a sua ou a do Espírito de Deus? Faça essa avaliação da sua vida e, caso identifique que o Espírito está apagado em você, comece a fazer algo para reacendê-Lo: invista tempo em oração, leitura e meditação na Palavra, comunhão com irmãos em Cristo…

sexta-feira, 23 de junho de 2017

NÃO INVISTA TUDO NOS SEUS PRÓPRIOS INTERESSES

“[O amor] não procura seus interesses” (1 Coríntios 13.5a).
Tudo que você é e faz na vida é pensando em quem? Você estuda, trabalha, recebe pessoas na sua casa, se santifica diariamente, serve no (s) ministério (s) da igreja, se diverte, compra comida, roupas, sapatos e presentes… tudo isso, entre outras ações, pensando em você mesmo (a), na realização dos seus sonhos, na conquista de uma boa carreira profissional para ir além das outras pessoas, na ostentação dos seus bens e da sua “santidade”, na exaltação ministerial, na promoção da própria alegria, na satisfação dos seus desejos e vontades, ou em Deus e no próximo?
Desde a queda no Jardim do Éden, começou a brotar no coração de todo ser humano um instinto de olhar primeira e principalmente para si mesmo, buscando satisfazer os próprios interesses. Tanto que Eva, ao ver que “a árvore parecia agradável ao paladar, era atraente aos olhos e, além disso, desejável para dela se obter discernimento” (Gênesis 3.6), comeu do fruto, e Adão também, sendo desobedientes à ordem de Deus (Gênesis 2.16,17). Eles deram o melhor que tinham – o relacionamento com o Criador – em troca da satisfação da própria vontade. Eles não pensaram em Deus nem nos descendentes que poderiam vir; pensaram apenas em si mesmos. Você que está lendo este texto e tem o amor do Pai, não busque seus próprios interesses. “Pense” no Senhor Jesus e no seu próximo também.

quinta-feira, 22 de junho de 2017

NÃO ESPERE ALGUÉM PEDIR

Existe um perfil denominado reativo, que caracteriza pessoas que, geralmente, têm necessidade de ser sempre demandadas a fazer algo; não são proativas, esperam ser solicitadas, para, então, agirem. Elas não se antecipam tentando prevenir problemas, mas reagem a eles quando já estão instaurados. Esse tipo de pessoa não se encontra apenas no ambiente de trabalho, mas, também, na igreja, no ministério, em casa, nas ruas, no trânsito… Como cristãos, devemos ser proativos – os que têm perfil reativo precisam buscar desenvolver a proatividade. Por quê?
Lembremo-nos do que Jesus disse e está registrado em Mateus 25.35,36: “Eu tive fome, e vocês me deram de comer; tive sede, e vocês me deram de beber; fui estrangeiro, e vocês me acolheram; necessitei de roupas, e vocês me vestiram; estive enfermo, e vocês cuidaram de mim; estive preso, e vocês me visitaram”. O Senhor não estava falando de Si mesmo, mas de pessoas que tiveram essas necessidades supridas pelos discípulos. Pensemos: às vezes, quem tiver fome ou sede não pedirá comida ou bebida, quem vier de fora não pedirá acolhimento, quem precisar de roupas não pedirá vestimentas, quem estiver doente não conseguirá pedir ajuda, quem estiver preso não pedirá visitas, talvez, por vergonha, medo, falta de intimidade com a outra pessoa ou debilidade física, emocional, psicológica ou moral. Por isso, precisamos estar sempre sensíveis às necessidades do próximo e ser proativos para ajudá-los, antes mesmo de nos pedirem.
Fonte: www.lagoinha.com