Menu

CONFIRAM AS PRÓXIMAS PROGRAMAÇÕES DE NOSSA CONGREGAÇÃO, VISUALIZANDO A AGENDA NO FINAL DA PAGINA

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Não Mais na Carne!

“Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus.
Porque a lei do Espírito da vida, em Cristo Jesus, te livrou da lei do pecado e da morte.
Porquanto o que fora impossível à lei, no que estava enferma pela carne, isso fez Deus enviando o seu próprio Filho em semelhança de carne pecaminosa e no tocante ao pecado; e, com efeito, condenou Deus, na carne, o pecado, a fim de que o preceito da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito.

Porque os que se inclinam para a carne cogitam das coisas da carne; mas os que se inclinam para o Espírito, das coisas do Espírito.
Porque o pendor da carne dá para a morte, mas o do Espírito, para a vida e paz.
Por isso, o pendor da carne é inimizade contra Deus, pois não está sujeito à lei de Deus, nem mesmo pode estar.

Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus.
Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se, de fato, o Espírito de Deus habita em vós. E, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele.
Se, porém, Cristo está em vós, o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado, mas o espírito é vida, por causa da justiça.

Se habita em vós o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos, esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos vivificará também o vosso corpo mortal, por meio do seu Espírito, que em vós habita.
Assim, pois, irmãos, somos devedores, não à carne como se constrangidos a viver segundo a carne.
Porque, se viverdes segundo a carne, caminhais para a morte; mas, se, pelo Espírito, mortificardes os feitos do corpo, certamente, vivereis.

Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus.” - Romanos 8:1-14
A força e o foco do argumento do apóstolo Paulo, nesta seção do oitavo capítulo da epístola aos Romanos repousa na verdade espiritual de que em Cristo nenhum servo autêntico de Deus, nascido de novo do Espírito Santo, encontra-se em estado de inimizade com Deus, por não estar reconciliado com Ele.
Todos, sem uma única exceção, são filhos amados, por meio da sua união com Cristo.
Foram resgatados de um viver exclusivamente pela energia da natureza terrena, porque encontram-se agora também dotados de uma nova natureza, pela habitação do Espírito Santo, que está destinada a destruir e a despojá-los da antiga natureza terrena pecaminosa.
Já são assim considerados, embora ainda neles remanesça o velho homem com suas paixões terrenas, de modo que deles se diz que não estão mais na carne, caso tenham de fato a habitação do Espírito Santo.

Deus os vê na nova natureza que lhes deu por causa da fé em Cristo.
E os chama a mortificarem os feitos da velha pelo poder da nova, de modo que tenham toda a plenitude da vida espiritual que se encontra em Jesus Cristo.
Já se encontram na posse da vida eterna, mas necessitam crescer na graça e no conhecimento de Jesus, pela mortificação do pecado e por um andar no Espírito Santo.
É evidente que, quando o cristão faz provisão para as obras da carne, que ele não está agradando a Deus, mas ele possui, pelo Espírito que nele habita, a condição de reverter este quadro pela confissão e abandono do pecado, com a devida consagração ao Senhor.

Mas, não é ao cristão que Paulo está se referindo, quando diz:
“Rom 8:8 Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus.”
Porque, seu propósito, quando faz esta afirmação no contexto desta epístola aos Romanos, é o de demonstrar que não ter a Cristo significa não ter consequentemente a nova natureza celestial e divina, senão apenas a terrena, que é designada na Bíblia pela palavra “carne”.

Assim, não é possível se agradar a Deus, por qualquer obra religiosa ou de caráter de benemerência, com vistas à salvação ou à comunhão, porque a carne não está sujeita a Deus, não lhe ama, nem os seus mandamentos, e não está habilitada a fazer a sua vontade, porque isto é possível somente quando somos transformados e dirigidos pelo Espírito Santo.
Como o cristão possui a referida habitação do Espírito ele pode realizar o trabalho de mortificação do pecado, pela operação do Espírito.
E como este trabalho é realizado pelo Espírito, podemos concluir consequentemente que não se pode ver isto sendo feito naqueles que não são de Cristo.

Fonte:http://estudos.gospelmais.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário