Menu

CONFIRAM AS PRÓXIMAS PROGRAMAÇÕES DE NOSSA CONGREGAÇÃO, VISUALIZANDO A AGENDA NO FINAL DA PAGINA

sábado, 26 de julho de 2014

Por que Jesus Disse que o Mundo Odeia os Cristãos Tanto Quanto a Ele?

“Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós, me odiou a mim.” (João 15.18)

Simplesmente porque não o conhecem pessoalmente em espírito, e não o amam.
Este foi o problema com Nietzsche, Karl Marx e todos os que declararam o seu ódio abertamente contra Cristo e contra o cristianismo.
Para quem não é de fato convertido e que por conseguinte não possui a habitação do Espírito Santo, não é de modo algum possível entender o real significado das virtudes cristãs conforme estão reveladas na Bíblia.
Ainda que muitos tentem justificá-los e a todos os demais que odeiam o evangelho secretamente, sob a alegação de que o seu ódio não é propriamente contra a pessoa de Jesus e dos cristãos, mas somente contra o sistema religioso chamado cristianismo que é manipulado pelos clérigos, todavia permanecem na mesma condição de opositores da verdade porque aqueles que conhecem a Cristo combatem o erro em outros termos e com sentimentos diferentes de um ódio consumidor pelo próprio Deus e por todos os que Lhe amam.
Nietzsche não declarou apenas que o Deus dos cristãos está morto, mas escreveu muito em todas as suas obras com o objetivo de combater o cristianismo.
São suas palavras em seu livro intitulado “O Anticristo”:
“Não devemos erigir uma plataforma para embelezar o cristianismo: ele travou uma guerra de morte contra este tipo mais elevado do homem, ele colocou todos seus mais profundos instintos desse tipo sob a sua proibição, desenvolveu seu conceito de mal, do mal pelo próprio mal, fora desses instintos – o homem forte como o réprobo típico, o “pária entre os homens.” O cristianismo tomou partido de todos os fracos, do baixo, do que deu errado, e que fez um ideal fora de antagonismo a todos os instintos de auto-conservação da vida saudável, que corrompeu até mesmo as faculdades daquelas naturezas que são intelectualmente mais vigorosas, representando os maiores valores intelectuais como pecaminoso, como enganador, cheio de tentações. O maior exemplo lamentável: a corrupção de Pascal, que acreditava que o seu intelecto havia sido destruído pelo pecado original, ao passo que na verdade foi destruído pelo cristianismo!”
Seria algo surpreendente que esteja havendo um renovado interesse da comunidade internacional por Nietzsche?
O que incomoda e perturba os poderosos e nobres que são sábios segundo o mundo, é a verdade de que Deus tem escolhido para Si os que são humildes e fracos, para torná-los sábios e fortes segundo Deus, e não segundo o mundo.
Porque vede, irmãos, a vossa vocação, que não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados. Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes. E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são para aniquilar as que são; para que nenhuma carne se glorie perante ele. Mas vós sois dele, em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção; para que, como está escrito: Aquele que se gloria, glorie-se no Senhor. 1 Coríntios 1:26-31
Fonte:http://estudos.gospelmais.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário