Menu

CONFIRAM AS PRÓXIMAS PROGRAMAÇÕES DE NOSSA CONGREGAÇÃO, VISUALIZANDO A AGENDA NO FINAL DA PAGINA

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Responsabilidade

Quando usamos a palavra responsável, a noção que nos vem imediatamente à mente é a de alguém que tem a seu cargo determinadas pessoas ou atividades.

A noção não é incorreta, mas geralmente não lhe acrescentamos o principal significado da palavra, que é o de que aquele que é responsável, o é no sentido de ter que responder perante alguém superior prestando conta dos encargos que lhe foram atribuídos.
A isto deve ser acrescentado também, que quando se trata de Deus, todos são responsáveis perante Ele não apenas em relação aos nossos encargos, mas, sobretudo em relação ao nosso comportamento, atitudes, pensamentos, palavras, ações e omissões.
Responsável significa literalmente, aquele que pode e deve responder.
Um bebê não é responsável, porque não tem ainda as faculdades mentais amadurecidas para discernir sobre as consequências de seu comportamento e ações, e por isso nosso Senhor afirma que o reino dos céus pertence aos pequeninos, ou seja, àqueles que ainda não têm noção, não apenas do que seja o pecado, como também, a consciência dos males que ele ocasiona.
Mas, uma vez chegados à referida consciência todos nos tornamos responsáveis perante Deus e teremos que Lhe prestar contas de todo o nosso pensar e agir, no Tribunal de Cristo (salvos), ou no Dia do Grande Juízo (ímpios não regenerados, ou seja, não nascidos de novo do Espírito).
Ninguém se abençoe, portanto no seu íntimo, enquanto permanece na prática do pecado. Tudo está sendo visto e registrado pelo Grande Juiz para o dia da prestação de contas. Que sejamos louvados e não reprovados naquele dia, pois as consequências serão eternas, quer para o bem, quer para o mal, quer para perdas, quer para ganhos.
O Senhor retribuirá a cada um segundo as suas obras, e nada deixará de ser pesado e julgado, ainda que seja uma palavra fútil. Tenhamos então, o mesmo temor que havia no apóstolo Paulo, pelo qual pôde ser e fazer tudo o que foi tanto para Deus, quanto para os homens; e morto, ainda fala.
“Foi precisamente para esse fim que Cristo morreu e ressurgiu: para ser Senhor tanto de mortos como de vivos. Tu, porém, por que julgas teu irmão? E tu, por que desprezas o teu irmão? Pois todos compareceremos perante o tribunal de Deus. Como está escrito: Por minha vida, diz o Senhor, diante de mim se dobrará todo joelho, e toda língua dará louvores a Deus.
“Assim, pois, cada um de nós dará contas de si mesmo a Deus.” (Romanos 14.9-12)
“É por isso que também nos esforçamos, quer presentes, quer ausentes, para lhe sermos agradáveis.
Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo.

“E assim, conhecendo o temor do Senhor, persuadimos os homens e somos cabalmente conhecidos por Deus; e espero que também a vossa consciência nos reconheça.” (II Coríntios 5.9-11)
Fonte:http://estudos.gospelmais.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário