Menu

CONFIRAM AS PRÓXIMAS PROGRAMAÇÕES DE NOSSA CONGREGAÇÃO, VISUALIZANDO A AGENDA NO FINAL DA PAGINA

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Gratidão e Ação de Graças

Ser grato a Deus é o dever de todo homem, em razão dos grandes benefícios que a todos concede, e dentre estes o maior de todos, que é o dom da vida.
Os crentes têm o dever de serem gratos pelo dom da vida natural recebido do Criador, como também pelo dom da nova vida espiritual, celestial e divina, recebido por meio da fé em Jesus Cristo.
Na verdade, o próprio Deus se dá a nós, fazendo habitar em nós o Espírito Santo. A estes são concedidas graças sobre graças, com toda a sorte de bênçãos espirituais nas regiões celestiais em Cristo Jesus.
Ainda que estas bênçãos devam ser recebidas aqui, em conformidade com a nossa obediência ao Senhor, todavia sempre estão disponíveis para serem buscadas pela fé. Quanto mais conscientes destes benefícios, maior deve ser a nossa gratidão, a qual deve ser expressa não somente em louvor, mas, sobretudo em amor, obediência e serviço.
Nada temos de nós mesmos para retribuir a Deus os favores que temos recebido; então nada nos resta como reconhecimento e retribuição, senão apenas o dever de sermos gratos.

Se temos recebido amor devemos expressar nossa gratidão também em amor; pois esta é a evidência, a marca da verdadeira gratidão. O reconhecimento do bem recebido, ainda que sob a forma de repreensão e disciplina (Apo 3.19), leva-nos a responder também com a prática do bem.Um espírito grato a Deus é um espírito verdadeiro, porque testifica do amor, do cuidado, da bondade, da misericórdia e todos os atributos de Deus voltados para o nosso bem.
As ações de graças se multiplicam e enchem toda a Terra, sobretudo na Igreja de Cristo, de modo que o nome de Deus é muito glorificado com isto, testificando tanto a anjos quanto a homens que Ele é de fato, amoroso e benigno, porque é evidente que ninguém pode ser grato a quem lhe faz mal.
De modo que não há qualquer gratidão verdadeira quando o fazemos por motivo interesseiro, ou pelo desejo de fazer mal ao próximo. Entre malfeitores não há comunhão amorosa, senão conluio maligno.
Tão grande é a certeza daquele que confia em Cristo, que receberá respostas às suas petições, mesmo nos momentos mais angustiantes, que pode dar graças no Espírito enquanto ora fazendo suas petições a Deus (Fp 4.6).
Como todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, devemos então, ser gratos a Deus por tudo, ou seja, em toda e qualquer circunstância devemos manter nossa gratidão ao Senhor, por saber que em tudo Ele sempre estará operando o que for bom para nós, especialmente para o nosso amadurecimento espiritual na fé.

Nenhum comentário:

Postar um comentário