Menu

CONFIRAM AS PRÓXIMAS PROGRAMAÇÕES DE NOSSA CONGREGAÇÃO, VISUALIZANDO A AGENDA NO FINAL DA PAGINA

quinta-feira, 20 de março de 2014

Cristãos prisioneiros: Um chamado ao mundo inteligível

Entre 380-370 a.C, Platão, escreveu “A República”. Neste livro encontra-se o Mito da Caverna, também chamado de Alegoria da Caverna, onde o autor demonstra sua teoria do conhecimento.
Visualize prisioneiros que estão acorrentados no fundo de uma caverna desde o nascimento, de modo que vejam apenas uma parede iluminada por uma fogueira. Nesta parede são projetadas sombras de estátuas representando pessoas, animais, plantas como se estivessem apresentando o cotidiano, essa é a única imagem que os prisioneiros podem enxergar. Vendo isso os prisioneiros ficam denominando as imagens e julgando as situações. Platão denominou o fundo da caverna de mundo sensível. Imagine que um desses prisioneiros consegue se libertar aos poucos, caminhando até a saída dessa caverna e percebendo que o que ele estava visualizando e julgando, era apenas sombra do que é perfeito e pleno.

Enfim o indivíduo sai da caverna, chegando no que Platão chamou de mundo inteligível ou mundo das ideias. O ex-prisioneiro com o seu conhecimento da realidade volta para resgatar os prisioneiros, porem estes como só conseguem visualizar as sombras, hostilizam o liberto e dizer que o tal está louco.
O significado dessa alegoria feita por Platão é: os prisioneiros são humanos que acreditam no que foi transmitido desde de sempre, sem refletir sobre. A caverna é o mundo ao nosso redor. Só se sai da caverna através do conhecimento das ciências. O mundo fora da caverna é o mundo real. O Mito encoraja a abdicar da ignorância e buscar o conhecimento.

Pense: será que os cristãos protestantes-evangélicos brasileiros, tem se preocupado em alcançar o mundo das ideias, quanto ao conhecimento de Deus e seus ensinamentos na Escritura Sagrada?

O autor da carta aos Hebreus já demonstrava essa preocupação. Ele queria ensinar para os destinatários sobre o sacerdócio de Cristo segundo a ordem de Melquesedeque, porém esses irmãos não sabiam os princípios elementares da Lei de Deus: “Sobre isso temos muito que dizer, mas de difícil interpretação, porquanto vos tornastes tardios em ouvir. Porque, devendo já ser mestres em razão do tempo, ainda necessitais de que se vos torne a ensinar os princípios elementares dos oráculos de Deus, e vos haveis feito tais que precisais de leite, e não de alimento sólido. Ora, qualquer que se alimenta de leite é inexperiente na palavra da justiça, pois é criança; mas o alimento sólido é para os adultos, os quais têm, pela prática, as faculdades exercitadas para discernir tanto o bem como o mal.” (Hebreus 5.11-14).

Ao olhar para essa passagem, vejo um chamado para cristãos alcançarem o mundo inteligível. Observando o verso 11, percebe-se que o motivo dos cristãos hebreus não conhecerem os princípios elementares, era o fato de serem tardios no ouvir. A palavra “tardios” (no texto original grego; νωθρος, nothros) significa e é melhor traduzida como preguiçosos ou indolentes. É fácil notar esse fator no meio evangélico brasileiro, os fiéis não dão credito a uma boa exposição bíblica, ao contrário estão contaminados pelo hedonismo, buscam apenas o êxtase e o transe espiritual. Alguns ainda ousam dizer que “a letra mata, mas o espirito vivifica”, fazendo uma aplicação errônea do texto de 2 Coríntios 3.6.

Lamentável ver uma massa da igreja brasileira se contentando apenas com o leite. Sendo indolentes e preguiçosos no ouvir, não aprofundando nas escrituras, achando que teologia é apenas para líderes de denominações ortodoxas. No entanto a própria Bíblia nos encoraja a alcançar o mundo inteligível. Os lideres preocupados em agradar os adeptos não explicam os textos bíblicos, e se detém apenas as aplicações, o que é um erro, pois estimula-se a indolência dos fiéis.
Os pregadores leigos (quanto as Escrituras), tem contribuído para que os crentes de nosso país fiquem necessitados de leite. Pois não apresentam uma teologia concisa, trazem estudos superficiais e motivatórios, além de esquecerem que a Bíblia foi escrita em outro idioma e é necessário uma exegese do texto. O poder do Espírito e o conhecimento bíblico-teológico devem ser conciliados. Paulo já havia alertado a Tito qualificações para os presbíteros: “retendo firme a palavra fiel, que é conforme a doutrina, para que seja poderoso, tanto para exortar na sã doutrina como para convencer os contradizentes.” (Tito 1.9).

A permanência no mundo sensível traz como consequência a fácil manipulação. Certo dia, ao abrir o youtube, assisti um indivíduo dizendo que Jesus tinha uma casa boa na praia, pior que ouvir essa asneira, foi ver a igreja vibrando com essa falsa profecia. Precisamos de uma igreja que caminhe rumo ao mundo das ideias, necessitada de alimento sólido. A igreja do Brasil carece de cristãos que questionam seus líderes, e saibam discernir as falsas profecias, exigido assim dos pregadores fidelidade ao texto bíblico e profundidade nos sermões e estudos.

Muitos cristãos estão experimentando apenas sombra do que é perfeito. Deus derrama da sua graça igualmente sobre todos que por vocação divina creem em Cristo, porém quanto mais você entende dessa graça, mais você experimenta dela. Quanto mais você entende o perdão, mais você experimenta dele, e assim se aplica a tudo na vida cristã. O texto da epístola aos Hebreus nos convida a experimentados do que é pleno. Não seja um prisioneiro, criança, necessitado de leite, caminhe rumo ao mundo das ideias, seja adulto, e se alimente de alimento sólido. A igreja brasileira anseia por cristãos que se preocupam e tem prazer em aprofundar no conhecimento bíblico-teológico. Não se acomode no mundo sensível, liberte-se, conheça, e alcance mundo inteligível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário