Menu

CONFIRAM AS PRÓXIMAS PROGRAMAÇÕES DE NOSSA CONGREGAÇÃO, VISUALIZANDO A AGENDA NO FINAL DA PAGINA

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

A Síndrome de Babel

“Disseram mais: Eia, edifiquemos para nós uma cidade e uma torre cujo cume toque no céu, e façamo-nos um nome, para que não sejamos espalhados sobre a face de toda terra.” (Gênesis 11.4)

Vários anos se passam desde o dilúvio. Deus havia acabado de destruir todos os seres viventes e toda erva. Os homens precisavam recomeçar, Deus manda se espalharem e povoar a terra. Mas ao invés disso, eles se unem como um único povo na terra de Sinar, lugar que mais tarde se tornaria a Babilônia.
Então surge a ideia: Porque não construímos uma torre? Talvez alguém questione: Mas pra que uma torre? Para proteção? Para louvar a Deus através disso? Não, queremos chegar até o céu, fazer o nosso nome grande. Eles não queriam algo comum, queriam chegar mais alto que Deus. Não queriam obedecer a Ele, se rebelaram contra o Senhor. Suas atitudes mandava uma mensagem para Deus: Não precisamos de você! Estavam afrontando a soberania e o Poder de Deus. Não era simplesmente uma torre, era um monumento fundamentado no orgulho, rebeldia e na desobediência humana.
Essa torre foi o início de um grande império, um sistema que rege toda humanidade, um sistema totalmente contrário a Deus e sua vontade. Um reino focado no egoísmo, rebeldia, sentimento de autossuficiência; um sistema que diz ser bom, mas na realidade é detestável, aparenta ser agradável e acessível, mas é detestável.
Deus não quis que as coisas fossem assim. Sua criação no começo de tudo foi a prova de que tudo que Ele criou estava em perfeita harmonia com tudo, mas o ser humano ao implantar seu estilo de viver acabou com Tudo isso.
Deus não criou os mares para que pudessem passar navios cargueiros, Transatlânticos ou plataformas levando produtos ou pessoas e poluindo as águas; Deus criou toda extensão dos mares para o homem contemplar a grandeza de Deus através de suas águas.
Deus não criou o céu para que aviões ou mísseis de guerra, balões ou drones dos mais variados tipos e tamanhos pudessem passar destruindo vidas. Não criou toda existência do universo para que o homem pudesse alimentar o orgulho do seu coração dizendo que rompeu a barreira da atmosfera terrestre. Deus criou o céu para louvor da sua glória, como uma pintura de um artista ele o decorou para que o homem pudesse enxergá-lo através daquilo.
Deus não criou a terra para que fosse palco de toda rebeldia do homem contra Deus. Muito menos para servir de alicerce para o império pecaminoso, ganancioso e egoísta que o homem criou. Deus criou a terra para que o homem pudesse viver nela em plena comunhão com Ele, para demonstrar Sua firmeza e solidez, mostrar que o homem pode depositar sua confiança Nele.
Deus não criou todas as coisas que vemos hoje para que o homem pudesse usar em seus propósitos maquiavélicos e desobedecerem a Deus fazendo tudo que não lhe agrada. Deus criou todas as coisas para que seu nome fosse glorificado através dela, e por causa do homem, até mesmo a natureza foi rebaixada e escravizada, forçada a servir a um propósito que nega sua própria existência.
O homem não queria viver da forma que Deus quis, por isso de forma arrogante e orgulhosa, decidiu viver de outra forma. O que começou com uma torre, agora forma um grande império dominado pelo diabo, dominando todos os sistemas, usando todos os recursos para persuadir as pessoas de que viver sem Deus é normal. Um grande sistema dominando todas as áreas da sociedade, destruindo a infância das crianças, desestruturando famílias, se infiltrando dentro das igrejas, envergonhando o evangelho, desacreditando ministérios de homens de Deus. Este é o sistema que vivemos.
Olhe em sua volta. Divisões sociais entre ricos e pobres, grandes aglomerações de pessoas, cidades exibindo prédios que chegam até o céu, favelas cobrindo vários morros, pessoas buscando um emprego melhor, uma renda maior, procurando ter sua casa, seu carro, já outros sem ter o que comer em casa, passando fome e sede, morando em lixões, casebres de papelão.Pessoas andando a todo vapor pelas ruas, sem prestar atenção em quem está do seu lado por causa da correria do dia a dia. O que essas coisas têm em comum? Elas retratam cenas comuns do mundo. Não é apenas uma organização em sociedade, é um estilo de vida, é a expressão do orgulho humano e do seu egoísmo, é a tentativa do homem de viver sem Deus. O mundo que vemos hoje é um mundo totalmente contrário à vontade de Deus.
Deus criou um jardim. No jardim Deus era o dono soberano e tudo pertencia ao homem. Na cidade, o homem precisa pagar preços absurdos para ter um pedaço de terra. Ele terá que construir algo uma casa, e sempre terá que pagar ao governo.
No jardim o homem estava em comunhão com Deus. Na cidade, o homem é o seu próprio Deus. O sistema desse mundo leva o homem a achar que ele pode viver uma vida totalmente distante de Deus, diz que ele pode sobreviver sem Deus, pode ter prazer sem Deus, pode ser feliz sem Deus, basta conquistar esse mundo, ter muito dinheiro, poder, e influência sobre as massas.
No jardim o homem estava humildemente debaixo das mãos de Deus. Neste mundo que o homem criou para si mesmo, o que reina é o seu orgulho. O que manda é sempre ter conforto. Nesse cenário, o homem é o centro do universo, ele é a coisa mais importante que existe e não existe nada acima dele. É a torre de babel construída em seu coração. Sempre querendo crescer, sempre querendo mais, nunca está satisfeito com nada.
Será que conseguimos enxergar as fronteiras desse mundo carnal, egoísta e antropocentrista?
O diabo governa este reino na terra desde a queda do homem. Quando Jesus e João Batista começaram a pregar, a primeira coisa que eles disseram foi que o reino de Deus havia chegado. Eles estavam dizendo com isso que o reino mundano estava na terra, mas agora havia uma forma de escapar desse sistema, havia uma maneira diferente de viver.
Consegue enxergar esse reino mundano?Olhe para as ruas cheias de mendigos. O mundo diz que essas pessoas são imprestáveis. Alguém nesse mundo realmente se importa com eles?
Olhe para esse reino mundano, sempre querendo mais dinheiro, sempre querendo mais poder, mais bens, sempre mais alto.A torre de babel continua sendo construída pelo homem, sempre mais alto! Essa forma de viver não é a forma que Deus quer para o homem.
Olhe para o orgulho humano, sempre achando que pode mandar em Deus, pensando que não existe nada acima de si mesmo.
Enquanto isso Deus está dizendo: Eu vou destruir esta forma maligna de viver!O que Deus faz? Deus pega a cidade, símbolo de um estilo de vida totalmente contrário a sua vontade, na terra, e transforma em algo de louvor ao seu nome,a nova Jerusalém, no céu.
Olhe para o mundo e veja o desejo incontrolável por prazer, alimentados pela prostituição escancarada nas mídias e redes sociais, todo tipo de perversidade, abominações diante de Deus. Quantos são os que têm bebido desse cálice. Deus vai destruir todo esse reino mundano, assim como todas as pessoas que estão presas a ele. Sua ira será derramada sobre este império do mal, e todas as nações saberão que Ele é o Senhor. Deus irá destruir a torre de babel de uma vez por todas! Ele vai quebrar o orgulho do homem e mostrar mais uma vez que só Ele é Deus, só Ele é soberano, só Ele deve ser adorado, só Ele é digno de receber o poder, glória, força e riqueza para todo sempre. Pare de viver de acordo com esse sistema, abandone o mundo de uma vez por todas enquanto há tempo, Derrube a torre de babel do seu coração e entregue sua vida para Jesus, pare de alimentar o orgulho do seu coração e se humilhe diante de Deus,reconheça que você não pode viver plenamente distante do Senhor, rejeite as alegrias temporárias desse mundo para adquirir através de Cristo, a vida eterna.
Fonte:https://estudos.gospelmais.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário